domingo, 16 de maio de 2010

Soccerlização

João é torcedor fanático do América Mineiro. Filho de uma família tradicional de Minas Gerais, com laços ao tradicional clube mineiro. Seu avô, Januário, foi um dos fundadores do clube. Seu pai, Jorge, teve o prazer de ser vice-presidente. João não teve escolha. Desde bebê já ostentava as cores do clube nas roupas, no seu quarto, no material de escola, etc. Desde menino, o seu pai o levava ao Independência, para assistir as partidas do “Coelho das Alterosas”. Teve oportunidade de jogar no time júnior, entretanto foi constatado que seria melhor ele fazer parte da Avacoelhada, torcida organizada do clube.

O tempo se passou e o João cresceu, casou e teve um filho. Não teve dúvidas em relação ao nome que iria dar ao rebento: Jair. Homenagem ao seu ídolo nos tempos de infância, carismático ponta de lança do América nos anos 60 e 70. Utilizando as táticas que seu pai fez com ele, comprou todo e qualquer material para o filho, até colocou o garoto para entrar no estádio com os jogadores.

Um belo dia, Jair já um pouco crescido, chegou em casa usando uma camisa de time diferente, no qual João nunca havia visto na vida. Com cara de contrariado, João perguntou:
-João: Filho, que camisa é essa?
-Jair: Que camisa? (tentando despistar o assunto)
-Essa aí, que você está usando uai!
-Ah sim, é do Celtic.
-Cel o que? -Celtic pai, Escócia. (Nessa hora, Jair começou a suar de forma descontrolada)
-O que houve rapaz?
-Pai, precisamos conversar.
-Ah, nem vem que eu nem vou aumentar a sua mesada...
-Não é isso pai, mas é que... eu amo o Celtic.
-Ah, que bom filho, que você gosta de assistir campeonato... eerr... de onde mesmo?
-Escócia!
-Ah sim, whysky, muito bom...
-Pai, você não entendeu. Eu torço para o Celtic. Não torço para o América, mas sim para o Celtic.
-(João solta aquela risada) Ah Jairzinho, num sabia que você agora é comediante!
-É sério pai, não estou mentindo.
-Fala que você tá de sacanagem...
-Não pai, eu não sabia como te contar isso, mas criei coragem. Não torço para o América, não dá para torcer pra esse time de terceira...
-OLHA COMO VOCÊ FALA DO AMÉRICA RAPAZ!
-Ok, desculpe.
-Mas como você torce pra um time que nem sabe o hino...
-Hail Hail the Celtics are here...
-Mas meu filho, e o América do seu pai, do seu avô, como fica? Num faz isso comigo! Ah Meu Deus do céu...
-Pai, olha, você sabe, amor por clube de futebol é assim...
-Ah Meu Deus, onde foi que eu errei...

João se levanta e saí correndo para o carro, saí em disparada para o consultório do seu analista. Chegando lá, quase sem folego, fala com a atendente:
-Por favor, chama o doutor Fernando!
-Desculpe, mas ele não pode atender agora.
-Mas é uma emergência! Uma tragédia aconteceu!
-Desculpe, mas ele está vendo a decisão do time dele, pediu para não ser incomodado...
-Mas porra, hoje é segunda-feira!!! Num tem futebol...
-Mas é que ele torce para o Fulham...

João, perplexo, só consegue pensar em uma coisa: “Porra maldita de globalização!”

Mais do que o clube de coração, a globalização é evidente, o "mercado da bola" prova isso.

E você, leitor, quais consequencias enxergam na globalização do futebol? O que melhorou? O que piorou? Queremos sua opinião.

Júlio Furtado
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

3 comentários:

  1. Pior da globalização é a nacionalização de jogadores nascidos no Brasil. Tudo por interesse. nunca por amor.

    Embora vc tenha escrito uma historinha que mostra a globalização no futebol, acho q ng deixa de torcer por time brasileiro para admirar algum time lá de fora. O q acontece é ter o time lá de fora sempre como um segundo time!!!

    Os meus por exemplo são quatro: Manchester Utd, Inter de Milão, Barcelona e Roma.

    ResponderExcluir
  2. Olha, eu sou torcedor da Juve tanto quanto do Botafogo, mas isso ja vem de muito tempo, des da temporada 91/92 quando passava na Band e a loteria esportiva era com times italianos e espanhoes, e meu pai sempre jogava e acompanhava os jogos.

    Assim eu tbm assistia e começei a torcer pelo "Botafogo da Italia".

    Mas com certeza o advento da internet e tv a cabo so me fez ser mais torcedor ainda, e me traz informaçoes q antes era muito dificil de se ter.

    É verdade, ate mesmo quando se é torcedor do America-MG nao é normal deixar de torcer pelo time aki do Brasil.

    So pra constar. O Botafogo ja ganhou da Juve na final da Teresa Herrera de 1996, nos penaltys e jogando com o uniforme do Deportivo.

    ResponderExcluir
  3. Gostei do texto!! Mostra de forma engraçada os efeitos da globalização no mundo do futebol..

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...