quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Nem só de futebol é feito o Brasil...

Fala galera!

Como todos sabem, estamos naquele hiato de final de ano, onde todos os campeonatos de futebol do país estão descansando. São as férias do futebol, que dura entre 1 e 2 meses. Enquanto o ano de 2015 não começa, com seus campeonatos estaduais dando a largada para o futebol, fui pesquisar quais são os outros esportes que o brasileiro gosta de praticar. É claro que, como esperado, na liderança vem o futebol, afinal de contas, o Brasil é era o país do futebol. A lista me causou até certa surpresa, pois alguns esportes não tão usuais assim são bem aceitos e praticados pelo povo.

Vejam só:
  1. Futebol: o esporte bretão é o primeiro disparado. Cerca de 30,4 milhões de pessoas praticam o esporte no Brasil. Os campinhos estão espalhados por todos os lados, e o fato e esperança de algum menino ser um novo craque do Brasil estimula ainda mais prática do esporte.
  2. Vôlei: com os últimos resultados conquistados e o crescimento do esporte, já era esperado que o segundo esporte mais praticado, com 15,3 milhões de pessoas, seria o vôlei. Os ginásios estão cada vez mais cheios e o público brasileiro está gostando cada vez mais da modalidade
  3. Tênis de mesa: muito praticado em algumas escolas, o tênis de mesa tem cerca de 12 milhões de praticantes. O esporte dinâmico agrada bastante as crianças. Quem será o próximo Hugo Hoyama brasileiro?
  4. Natação: em quarto lugar está a natação, com cerca de 11 milhões de praticantes. A influência pode ser dos grandes campeões na modalidade no Brasil, como César Cielo e Thiago Pereira, além da nova revelação Felipe França. Seus bons resultados na modalidade com certeza ajudam para o crescimento do esporte.
  5. Futsal: também muito praticado em escolas, o futsal aparece na quinta colocação, com mais de 10 milhões de praticantes. A modalidade caiu de vez no gosto de crianças, jovens e adultos
  6. Capoeira: este me surpreendeu. A capoeira, um esporte literalmente brasileiro, ocupa a sexta posição no ranking dos esportes mais praticados por brasileiros, com 6 milhões de adeptos. Diferente das outras artes maciais, a capoeira é exercida com música, o que contribui para o sucesso do esporte.
  7. Skate: o skate está cada vez mais presente na vida dos brasileiros. É comum sairmos na rua e darmos de cara com pessoas andando pra lá e pra cá com seus skates. A prática do esporte é levada em consideração uma vez que a modalidade tem cerca de 2,7 milhões de praticantes. 
  8. Surfe: o surfe está na oitava posição, com 2,4 milhões de praticantes. A modalidade também tem grande influência não só de atletas como também de celebridades. O sucesso recente de Gabriel Medina com certeza poderá contribuir ainda mais pro crescimento do esporte e servirá como chamariz para novos praticantes.
  9. Judô: o judô é segundo esporte que mais trouxe medalhas olímpicas para o Brasil e está em nono lugar na tabela dos mais praticados pelas pessoas, com 2,2 milhões de adeptos
  10. Atletismo: para finalizar a lista, temos o atletismo com 2,1 milhões de pessoas. O crescimento do público em corridas de ruas e o trabalhos feito pelas escolas por meio das Olmpíadas escolares ajudaram em muito no desenvolvimento do esporte.
É isso aí. Como diz o título do post, nem só de futebol é feito o Brasil. A variedade de esportes praticados é bem grande. Só falta o investimento adequado, mas isso é assunto pra outro post.

Agora, mudando rapidamente de assunto, como na semana que vem já é Natal, vou aproveitar o finalzinho aqui do post pra desejar a todos os leitores do Resenha um Feliz Natal, com muita prosperidade e fartura. Paz a todos!

Um grande abraço.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Cartas ao Papai Noel - Fluminense

Fala galera! Depois do Papai Noel do Tricolor Paulista, chegou a vez do Tricolor Carioca, e o torcedor convidado do dia é o Luiz Felipe Furtado, engenheiro e apaixonado pelo Fluzão. Já esteve conosco em alguns hangouts e também já nos proporcionou um dos grandes temas da história do Resenha Esportiva, os planos de sócio torcedor.

Vamos conferir os desejos do Felipe para 2015:

"Prezado Papai Noel,

Luiz Felipe e o pequeno Gabriel, 2015 é o ano!
Após o meu renascimento, em 1999, esta é a minha primeira cartinha para o Senhor. Foram 15 anos de bons e caros presentes, muita saúde, vitórias cardíacas e conquistas que desafiaram a ciência. Já estou na idade de ter mais responsabilidade, chegou a hora de caminhar com as próprias pernas.

Quero agradecer pelo ano razoável e também pedir algumas coisas. Sabe como é... é melhor pedir do que roubar...

O ano começou conturbado, a tendenciosa mídia me colocou como vilão enquanto era vítima da desorganização dos clubes que escalam jogador irregular. Mas como você, Papai Noel,  é justo, fez-se justiça e cumpriu-se o Regulamento. 'Moralidade é o cumprimento da Lei', finalizou nosso futuro Presidente Mario Bittencourt.

Mas meu maior agradecimento é por permanecer na séria A do ano que vem. Com o mesmo time do ano passado, não seria novidade ajudar a 'Botar fogo' no inferno da série B.  Ainda bem que temos mais dois times cariocas para nos garantir pontos e ficar longe da degola.

Quanto aos pedidos, nada de Guaraná, Guaraviton... Tricolor está acostumado a erguer 'taça' de Champagne, desejando SAÚDE, isso mesmo, um novo plano de saúde!!!

Peço maiores investimentos na estrutura do clube, principalmente na construção do Centro de Treinamento Celso Barros, fundamental para a conquista de novos campeonatos. Se não for pedir demais, que você, Bom Velhinho, passe com bastante tempo em Xerém e deixe muita garra e técnica aos futuros Guerreiros!!!

Um Feliz Natal e um ano cheio de glórias e vitórias mil!!!

Saudações Tricolores!!!"

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Cartas ao Papai Noel - São Paulo

Fala galera! O convidado da vez é jornalista esportivo e coordenador de esportes do Colégio Apogeu, em Juiz de Fora, isso tudo nas horas vagas, porque sua atividade principal é ser são-paulino! Em busca do tetracampeonato da Libertadores, Erik Chaves faz pedidos ousados ao Bom Velhinho. Vamos conferir!

"Grande Noel!

Como vai o senhor? Espero que esteja tudo bem aí!

Depois daquele 2013 atípico (nem é bom lembrar), a paz voltou à Casa Tricolor. Está certo que ainda falta um pouco para ficar tudo dentro da normalidade, uma vez que “dentre os grandes, somos o primeiro” e o São Paulo Futebol Clube vive de títulos!

Por isto, vim lhe pedir aquela força para deixar tudo 100% com o Tricolor Paulista. Sei que o senhor é bom e já nos presenteou de forma antecipada com a renovação do M1TO Rogério Ceni. No entanto, nada mais justo do que coroar a carreira vitoriosa do nosso craque com o tetracampeonato da Libertadores. É aí que entra a sua ajuda, Noel.
Ganso promete facilitar a vida do Papai Noel em 2015

Como o senhor deve receber milhares de cartinhas pedindo o título da principal competição da América e não tem como atender todo mundo, principalmente neste ano em que uma certa torcida está tremendo de medo de levar outra “Tolimada” ou de ser eliminada na primeira fase por nós, vou fazer diferente e pedir apenas as ferramentas necessárias para a conquista do nosso quarto título da Libertadores.

Nosso time já é muito bom, mas precisamos de um grande zagueiro, um bom lateral direito, e um camisa 8 para a vaga do nosso craque Kaká. Para lhe economizar tempo, já deixo até o nome do jogador para esta posição: Darío Conca.

Além desses três reforços de qualidade, peço para que o senhor dê sabedoria ao professor Muricy, genialidade ao Ganso, bom condicionamento físico ao artilheiro Luis Fabiano e que todo o elenco esteja unido e se esforce ao máximo para honrar a camisa do São Paulo.

Com essa sua ajudinha, tenho certeza que conquistaremos o caneco!

Um grande abraço,

Erik Chaves"

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Cartas ao Papai Noel - Botafogo

Fala galera! Chegou a vez do Botafogo e o fato de ter caído numa segunda-feira não tem qualquer relação com uma possível zoação, foi coincidência mesmo, já que estamos publicando na ordem que chegam "as cartinhas".

O torcedor da vez é o Pedro Henrique Rezende, botafoguense fanático e estudante de comunicação da UFJF.

Os pedidos do Pedro são bem palpáveis, vamos ver se Papai Noel poderá atendê-lo. Aí vai!

A esperança alvinegra se renova a cada dia
"Estimado Papai Noel, como vai?

Não precisa repetir a pergunta por educação. Perguntar como nós, botafoguenses, vamos é um tanto quanto desnecessário, não acha? Vamos para a segunda divisão, oras! Vamos para o terrível mundo da série B. Lugar de várzeas assombradas, florestas escuras e cavaleiros sanguinários. Não que seja tão fantasioso assim, mas convenhamos que as condições de jogo pioram bastante.


A série B tem muito menos a ver com o futebol em si do que aparenta. A inesquecível “Batalha dos Aflitos” está aí para nos lembrar desse fato (aliás poderia até dar nome à competição). Quem entrar em campo vestindo preto e branco em 2015 terá que “garrinchar”menos e morder mais. Não há espaço para canetas, chapéus e demais objetos cênicos do futebol na segundona. Talvez pisando no gramado armados do jargão “o coração na ponta da chuteira”, os comandados de “não sei quem”, presididos pelo “tomara que dê certo”, poderão conquistar a loucura dos alvinegros mais uma vez.

E por falar em presidir e em loucura, aí vão dois pedidos, Papai Noel. O primeiro: que Carlos Eduardo Pereira faça uma gestão digna do tamanho do clube. Até porque, se não fizer 20% das bobagens que a última gestão fez o saldo já será positivo. Segundo pedido: Loco de volta sim. Por quê? Só quem não é alvinegro faz uma pergunta dessas, bom velhinho. O cara tem 38 anos, gênio forte, errou ao “rachar” o grupo e por aí vai. Mas, sem exagerar no romantismo, qual foi a última vez que um atleta vestiu a camisa do botafogo com tanta paixão pelo clube? Sem dúvida alguma aquela camisa 13 foi a mais importante dos últimos cinco anos da história do clube (sem contar a 10 do gênio aposentado Seedorf).

No mais, é isso. Organização, gestão responsável, boas contratações e tudo mais que puder ser diferente de 2014. Não acredito que o próximo ano será difícil para o fogão, acredito que chegará bem perto dos limites do impossível, mas acredito no meu time. Porque sou supersticioso, fanático, doente, perseverante e sei o que é ser botafoguense. Ser botafoguense é ser Louco!


Um abraço Noel!"

sábado, 13 de dezembro de 2014

Cartas ao Papai Noel - Atlético Mineiro

Fala galera! Chegou o dia do Galo Mineiro campeão da Copa do Brasil de 2014. Quem escreve a cartinha de hoje é a jornalista Thamara Gomes, que já esteve conosco contando sobre seu jogo inesquecível.

Thamara trabalha na Congregação do Santíssimo Redentor, em Aparecida do Norte, São Paulo.

Confiram os pedidos da atleticana para 2015:

"Olá Papai Noel,

Tudo bem com o senhor? Muito trabalho por esses dias, não é mesmo?

Primeiramente eu queria agradecer. Dizer muito obrigada pelo senhor ter se lembrado de nós nos últimos anos. Durante algum tempo nós pedimos muito, mas o presente nunca vinha. Até que ele chegou, muuuuiito melhor do que a gente poderia imaginar.

Aproveitando, queria te dizer que nos comportamos muito bem neste ano. Gritamos, pulamos, cantamos e lutamos bravamente. Mas principalmente Papai Noel, ACREDITAMOS sempre, não desistimos.

O Senhor tem sido muito bom conosco! Por isso bom velhinho, não vou pedir aqui nem ouro nem prata, mas sim que nossos gestores continuem no caminho certo, conduzindo o Galo com hombridade.

Ano que vem vamos disputar de novo a Libertadores e as principais competições nacionais, por isso, o meu outro pedido é que nunca percamos o dom de ACREDITAR. Assim, poderemos chegar longe novamente!

Espero que minha cartinha do ano que vem também seja com mais agradecimentos que pedidos!

Até 2015!"


Thamara Gomes

#VamoGalo #NoeldaMassa

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Vai e vem do mercado: escolha quem você quer pro seu time

Fala galera!

Todo final de ano é a mesma história. Os campeonatos vão acabando aos poucos e a nostalgia já começa. Nas primeiras semanas de dezembro, o Campeonato Brasileiro termina e o futebol brasileiro entra de férias, oficialmente. Mas só dentro dos campos. Fora deles, é só o começo. É a vez dos dirigentes, empresários e clubes entrarem em campo, na procura por bons jogadores já pensando em toda a temporada do ano seguinte. É a vez de analisar as barganhas, analisar os empréstimos e as possíveis contratações.

A grande maioria dos clubes não termina o ano satisfeita e é bem comum vermos uma "barca" saindo de todos os times, com a lista dos jogadores que não estão mais dentro dos planos para o ano seguinte. São raros os torcedores que estão 100% satisfeitos com seus times. Este ano, talvez, só os cruzeirenses. Alguns outros como os são paulinos e os atleticanos também podem estar, mas tenho certeza que todo mundo sente uma fragilidade ou precariedade em algum setor do seu time.

Pois bem, se tem uma coisa que não entra na minha cabeça, é como os dirigentes e diretores de futebol são incompetentes. E repetem, ano a ano os mesmos erros. É comum vermos medalhões que já deveriam ter aposentado voltando aos clubes, como Carlos Alberto. Tem também os garotos problemas, que todos sabemos que irão criar polêmicas, só não sabemos quando. É o caso, por exemplo, de Jóbson e Bernardo. E temos as apostas que só os diretores e dirigentes acreditam, mas que todos sabem, no fundo, que estão fadadas ao fracasso.

Diante do grande problema financeiro que todos os clubes do país vivem hoje, dei uma pesquisada em bons nomes que surgiram neste último Brasileirão. Listei apenas jogadores competentes, promissores, que fizeram uma boa temporada e que não devem (nem podem) ter preços exorbitantes. Dá pra montar, tranquilamente, um time muito competitivo apenas com eles. E digo mais: se formos somar a folha salarial do time inteiro, no final das contas, deve ficar abaixo do que jogadores como Fred, Conca, Marcelo Moreno e Guerrero recebem.

Vou listar abaixo jogadores que teriam espaço em muitos setores da maioria dos times da série A.

  • Goleiros: Renan (Goiás), Tiago Volpi (Figueirense), Vanderlei (Coritiba) e Danilo (Chapecoense)
  • Zagueiros: Tiago (Atlético MG), Jemerson (Atlético MG), Jackson (Goiás) e Manoel (Cruzeiro, mas que vem sendo reserva)
  • Laterais: Galhardo (Bahia), Anderson Pico (Flamengo), Cicinho (Santos), Douglas Santos (Atlético MG), Esquerdinha (Goiás), Claudio Wink (Inter), Patric (Sport) e Rodrigo Biro (Chapecoense)
  • Meio-campistas: Dodô (Atlético MG), Daniel (Botafogo) e Bruno Silva (Chapecoense)
  • Atacante: Leandro (Chapecoense), Marcelo (Atlético PR), Erik (Goiás) e Lucca (Criciúma)
Pra vocês verem, tem jogadores revelações (como Erik e Dodô), tem jogadores bons mas que estão na reserva (como o Manoel do Cruzeiro), jogadores que se destacaram em seus times (como os do Goiás e da Chapecoense) e até jogador de time rebaixado, como é o caso do atacante Lucca, do Criciúma.

Tem pra todo gosto. Com certeza dá pra montar um time que dá liga, investindo pouco (ou menos do que os clubes estão acostumados, trocando seis por meia dúzia).

Aí o dirigente do seu time vai lá e contrata o Carlos Alberto por 400 mil ao mês, vai entender...

Até a próxima!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Cartas ao Papai Noel - Flamengo

Fala galera! Dando sequencia à nossa série de "cartinhas ao bom velhinho", chegou a hora rubro-negro da Gávea, o meu Flamengo! Ao contrário do que o Osmar nos apresentou sobre o Vasco na semana passada, eu não tenho muito o que pedir com relação a uma mudança de postura da diretoria ou reestruturação do clube, já que acredito que estamos no caminho certo independente de títulos conquistados.

Segue a minha cartinha:

"Caro Velhinho da roupa vermelha (e preta), desde 2013 eu me tornei um cara mais compreensivo com as dificuldades vividas pelo Mengão, e desde então passei a relevar algumas dificuldades dentro de campo. Mesmo assim fui presenteado com uma Copa do Brasil e com um Carioca, confesso que foi mais do que eu esperava, já que digo e repito por todos os cantos: não temo um rebaixamento desde que a diretoria coloque a casa em ordem.

Manda mais uma dessa pra mim
Não sou adepto de loucuras, de gastos fora do senso comum com jogadores que nem sabemos ao certo se dará certo... fui contra o 'pagamento' de 300 mil pro Marcelo Moreno jogar contra o Grêmio, fui contra a demissão do Jayme, porém a favor da contratação de Luxemburgo.

Pra 2015 eu lhe peço bem pouco, pois tenho mais a agradecer do que a pedir. Só quero que você garanta mais 3 anos de mandato para essa diretoria. A eleição é no final do ano e precisamos dela. Não quero ver pessoas como Márcio Braga, Patrícia Amorim, Kleber Leite e os amiguinhos do Capitão Léo controlando o Mais Querido!

Se a austeridade vendida na campanha de 2012 ainda não é a ideal, tenho certeza que caminha para isso. Esse ano passamos aperto mas não fizemos loucura, revertemos o quadro com o que tinha em casa.

Ah... já que to pedindo... quem sabe o senhor não me arruma mais uma Copa do Brasil? Eu ficaria bem satisfeito!

Agradeço mais uma vez por esses dois bons anos.

Um abraço

Luiz Paulo"

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Seleção do Brasileirão

Fala galera! Terminada a temporada do futebol brasileiro é hora das premiações. É Bola de Prata, Craque do Brasileirão, Seleção do Jornal Tal, Seleção do Site do Fulano, e porque não, a Seleção do Resenha Esportiva?

Para julgar a nossa seleção chamei eu mesmo para escolher, é... nessa época sei que a galera tá enrolada e não posso exigir de ninguém, então com base no que eu percebi durante o ano (e confesso que não vi muitos jogos, mas li muito) aí vai o meu time do Brasileirão 2014:

Goleiro: Marcelo Grohe (Grêmio)
Lateral Direito: Mayke (Cruzeiro)
Zagueiros: Gil (Corínthians) e Jemerson (Atlético Mineiro)
Lateral Esquerdo: Zé Roberto (Grêmio)
Volantes: Lucas Silva (Cruzeiro) e Aránguiz (Inter)
Meias: Ganso (São Paulo) e Ricardo Goulart (Cruzeiro)
Atacantes: Guerrero (Corínthians) e Tardelli (Atlético Mineiro)
Treinador: Vanderlei Luxemburgo (Flamengo)
Revelação: Erik (Goiás)
Craque do Campeonato: Ricardo Goulart (Cruzeiro)

Algumas explicações sobre a seleção, começando com o treinador. É óbvio que o trabalho de Marcelo Oliveira é fantástico, mas Luxemburgo conseguiu algo que muitos achavam impossível, tirar o Flamengo da Série B. No ataque eu poderia colocar Fred, o artilheiro do torneio, ou Marcelo Moreno, mas acredito que no conjunto da obra os dois escolhidos foram mais eficientes.

Essa é a minha seleção, mas como toda eleição existem controvérsias, os comentários são de vocês.

Concordam com os escolhidos?

Fui

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Super Técnico

Fala galera! No final da década de 90, mais especificamente em 1999, estreava na TV Bandeirantes uma mesa redonda que prometia revolucionar o formato até então conhecido, com apresentação e mediação de Milton Neves, entrava no ar nas noites de domingo o Super Técnico.

Até então as mesas redondas contavam com ex-jogadores e jogadores, as vezes alguns treinadores, mas um programa exclusivo para os "professores" era inédito na história da TV brasileira. Por iniciativa do jornalista e empresário J.Hawilla, dono da Traffic e parceiro da Band na época, o programa foi formatado e entregue para Milton apresentar.

Com um cachê de2 mil reais para cada um dos treinadores (já tivemos alguns registros indicando que o pagamento na verdade era de 2 mil dólares) por participação, o programa chamou a atenção dos participantes e dos telespectadores, rendendo recordes de audiência.

A atração consolidou a carreira do apresentador, mas abriu portas ou renovou as possibilidades de alguns dos treinadores também. Como Milton Neves costuma dizer "o programa levou Leão e Felipão para a Seleção e deu mais cinco anos de carreira para o Zagallo".

O apresentador de Muzambinho recorda que um dos grandes problemas daquele formato era que tinha que lidar com o ego dos treinadores e com o lobby que faziam em busca de melhores empregos. Bastava um treinador balançar para que os participantes deixassem sua carteira de trabalho à disposição para o cargo.

Por mais que hoje eu não curta os programas apresentados pelo mineiro "rei do merchan", admito que nos anos da atração, entre 99 e 2001, acompanhei seguidamente os debates e seria muito interessante que o formato voltasse a ser transmitido. Acredito que os treinadores são as pessoas mais capacitadas para fazer a análise das partidas, alguns dos jogadores que são convidados para esse tipo de programa nada agregam ao telespectador, usam respostas prontas, normalmente orientados por assessores de imprensa.

Na atual fase do jornalismo esportivo brasileiro, renovar os formatos, mesmo que essa renovação seja trazendo algo que já existiu e teve sucesso, pode surtir efeito.

Fui!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Jason "mágico" Williams

Fala galera! Um dos esportes que mais curti durante o final da minha adolescência foi o basquete. Na época jogava na seleção da minha cidade - acreditem - e disputei por dois anos seguidos os Jogos do Interior de Minas (JIMI). Nessa época, entre o final da década de 90 e início dos anos 2000, acompanhei muitos jogos da NBA, via praticamente todos, acompanhava resultados no site - na época da internet discada era muito emocionante o placar ao vivo do nba.com - fazia estatística, comprava os joguinhos do Playstation e sabia tudo, tudo o que acontecia na maior liga de basquete do mundo.

Cerca de 10 anos depois minha paixão perdeu força, não pelo esporte em si, que ainda adoro e sempre que posso pratico e acompanho, mas pela falta de tempo para ter um maior conhecimento sobre os jogadores e times. Até hoje penso que os craques da minha época jogam, e alguns deles realmente jogam, mas em um nível bem abaixo do que acostumei a ver.


Devido ao meu tamanho e minha posição - armador - sempre fui fã do Stockton, como já comentei por aqui, mas um baixinho loirinho que apareceu no Sacramento Kings em 1998 e que usava a camisa 55 me chamou muito a atenção na época. Seu nome: Jason Williams.

Jason era mágico! Com ele em quadra eu tinha a certeza de que teria diversão garantida. Não importava o placar, o negócio do "White Chocolate", seu apelido, era inventar. Com passes precisos e inesperados, ele encantava o torcedor. Em um time que brigou por três temporadas seguidas com Lakers e Spurs pela Conferência Oeste, Williams se credenciava como um grande talento da nova geração.



Em 2001 foi negociado com o Memphis Grizzlies e continuou brilhando, em suas 5 primeiras temporadas como jogador nunca começou uma partida no banco de reservas, foi titular em todas! Nas 5 seguidas continuou com um alto índice de titularidade, até mesmo no Miami Heat, onde jogou entre 2005 e 2008 e conquistou seu único anel de campeão, na temporada 2005/2006, quando atuava com Dwayne Wade e Shaquille O´Neal.

No final da temporada 2007/2008 ele acerta um contrato com o Los Angeles Clippers, mas alguns dias depois anuncia sua aposentaria pois não sua mente não suportava as seguidas lesões. Só que o amor pelo basquete falou mais alto e um ano depois ele retorna às quadras defendendo o Orlando Magic. Logo de cara ajuda o time a ser vice campeão da Conferência Leste. Foi a única vez na carreira que ele atuou nas 82 partidas da temporada regular.

Tudo parecia melhorar para Jason, mas uma nova lesão o tiraria de boa parte da temporada 2010-2011 e mais uma vez ele voltaria a pensar na aposentadoria. No final da temporada ele acertou novamente com o Memphis Grizzlies, onde já tinha jogado, mas depois de metade da temporada e com mais uma lesão, ele resolve aposentar de vez, nunca mais colocando sua magia em quadra.

Para fãs como eu, ficam as imagens da magia de Jason, ficam seus passes de cotovelo, seus giros, sua forma de ludibriar o adversário com malícia e ginga. Para os críticos, fica a imagem de um jogador que não estourou, mas quem se importa com eles?

Fui!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...