quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Respeito

Fico imaginando o que poderia estar escrito em algum santinho durante as últimas eleições para a presidência do Vasco...

"Salve, nação vascaína! Como todos sabem, eu nunca estou em um lugar apenas de passagem. Gosto de deixar a minha marca. E na presidência do nosso Gigante da Colina não poderia ser diferente. Aliás, justamente no nosso Clube quero deixar o meu maior legado!

Antes de mais nada, é bom apresentar o meu currículo, para o caso de algum desavisado não souber ou algum invejoso quiser recordar. Fui o maior responsável pelas maiores glórias da história recente do Clube de Regatas Vasco da Gama. Estaduais, Brasileiros, Copa Mercosul, Libertadores da América... É um rol de títulos de respeito.

Aliás, essa é a palavra de ordem sobre a qual quero falar: respeito. Devemos entender que se algum jogador marca época dentro de campo, não significa que ele vai conseguir se destacar nos bastidores. Pior para meu antecessor, que por pura incompetência conseguiu fazer o clube afundar a um patamar que nenhum apaixonado teria imaginado nesses mais de 100 anos de glórias.

Por isso, conto com o apoio de todos os torcedores, de toda essa massa apaixonada que há muito tempo vem sofrendo e precisa urgentemente de um líder que faça as coisas voltarem aos eixos e que leve o Vasco de volta ao lugar de onde nunca deveria ter saído. De cara, prometo ganhar o Campeonato Carioca. E prometo com convicção, afinal de contas o presidente da Ferj faz parte da nossa coligação.

Dessa forma, posso garantir que levantaremos a taça em 2015! Ninguém precisa se preocupar se o torneio é tão ultrapassado quanto o nosso discurso sobre lado do estádio! Isso é intriga da oposição. E como somos os mais amados, teremos oposição de todos os lados, então estamos preparados para a batalha.

Ao final do ano, vamos poder olhar para os nossos rivais e entoar em alto e bom som que o respeito voltou! Sim, estaremos rebaixados à Série B, mas não perderemos para nenhum dos rivais. Respeito é bom e eu gosto!

Ass.: E. M."

Já deve ter gente preparando o discurso...

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Clássico da Polenta

Fala galera! Por sugestão do meu amigo e também blogueiro aqui do Resenha Esportiva, Luiz Felipe, resolvi reativar uma sessão que nunca foi ativada, a "Clássicos pelo Mundo". Na época que criei a ideia era jogar a história de uma rivalidade qualquer do futebol mundial, mas a falta de tempo e de inspiração me fez esquecer.

Mas já que ele sugeriu, resolvi estudar um pouco sobre algumas rivalidades e sem pestanejar escolhi a primeira da lista, o Clássico da Polenta. Quando comentei com o Felipe que faria esse texto, a primeira reação dele foi "mas que raio de clássico é esse?". Vamos lá às explicações para o Felipe e para os leitores.

O Clássico da Polenta é formado pelas equipes do Caixas (de Caxias do Sul) e do Esportivo (de Bento Gonçalves) e é um dos mais tradicionais do futebol do Rio Grande do Sul. O nome tem origem na região da Serra Gaúcha, onde ambas as cidades se localizam. A região tem entre seus habitantes muitos descendentes de italiano e uma das comidas típicas da região é justamente a polenta, daí o nome.

Ao todo foram 140 jogos disputados com 316 gols marcados, média de 2,25 por partida. A última vez que as equipes se enfrentaram foi pelo Gauchão de 2014, competição que teve entre os rebaixados o Esportivo, em uma temporada onde a equipe teve 3 pontos retirados pelo STJD em virtude de atos racistas praticados no estádio, punição que acarretou no descenso do clube de Bento Gonçalves.

Na próxima temporada a disputa provavelmente voltará a acontecer, já que o outro lado do clássico, o Caxias, foi rebaixado em 2015 e disputará a Divisão de Acesso de 2016, onde o Esportivo permanecerá.

O time de Caxias do Sul leva uma grande vantagem no número de vitórias e de gols marcados no clássico, foram 54 vitórias caxienses contra 34 bento-gonçalvense, o time grená marcou 176 gols e sofreu 140, tivemos ainda 52 empates.

Além desses números temos alguns dados interessantes que deixaremos pra vocês:

Jogos - 140
Gols - 316
Média - 2,25
Vitórias do Caxias - 54
Vitórias do Esportivo - 34
Empates - 52
Gols do Caxias - 176
Gols do Esportivo - 140

Última partida:
Esportivo 0 x 0 Caxias pela 4ª rodada do Gauchão 2014
Jogo realizado no dia 29 de janeiro de 2014 na Montanha dos Vinhedos, em Bento Gonçalves, com público de 498 pessoas

Esportivo: Damião; Afonso, Reginaldo, Wallison e Baroni; Agenor, Vinicius, Cássio (Fabinho) e Clayton; Ygor Souza (Rafael) e Ulisses. Técnico: Emerson Avila.

Caxias: Douglas; Bebeto, Tiago, Leo Korte e Kaoê (Dieyson); Edmilson, Alisson, Rafael Carioca e Wallacer (Baiano); Julio Madureira (Mailson) e Lucão. Técnico: Picoli.

Árbitro: Anderson Daronco

Duas partidas já foram disputadas por competições nacionais, ambas válidas pelo Grupo 16 da Série C de 2007
Caxias 1 x 2 Esportivo em Caxias
Esportivo 2 x 1 Caxias em Bento Gonçalves

Maior vitória do Caixas: 5x0 (duas vezes, uma em 1937 e outra em 1967)
Maior vitória do Esportivo: 5x1 (1936)

Por hoje é só, em breve voltamos com outro clássico.

Fui!

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Paredão #1

Fala galera! Terminada a rodada do fim de semana vamos ao nosso primeiro Paredão do Big Brother Resenha 2. Como explicado nas regras, analisamos a atuação das equipes durante os últimos 7 dias e de todos os treinadores na disputa, 4 ficaram na berlinda. PC Gusmão, do Joinville, ganhou o anjo de seu atleta-veterano-cabelo branco, Marcelinho Paraíba, e está fora da "confusão".

Sobraram Doriva, que caiu com a Ponte na Copa Sulamericana no meio de semana e ainda tomou uma trauletada do São Paulo no sábado, Julinho Camargo, que conseguiu a façanha de ser eliminado pelo Brasília dentro de casa, também na Sulamericana, e apanhou do Furacão no domingo, e Luxemburgo, que foi derrotado pelo Palmeiras, na Copa do Brasil e pelo Santos, no Brasileirão, ambos em casa.


Agora é com vocês, você vota em quem deve ser eliminado. Você escolhe o final, você decide!


Acho que esse bordão era de outro programa, mas tá valendo!! A votação vai até quinta-feira e no sábado divulgamos o resultado do eliminado, lembrando que se algum treinador for demitido ou pedir demissão durante a semana, mesmo os do paredão, eles estão fora da disputa.

Por hoje é só! Valeu!

Fui!

sábado, 29 de agosto de 2015

Papo10 #20 - Torcedor no estádio

Esse vídeo é especial, ele mostra o dia de um torcedor em uma partida de futebol, desde a chegada até o fim da partida, comemorando a vitória de seu time. O as cenas da partida foram gravadas no domingo, 23 de agosto de 2015 durante o confronto entre Flamengo e São Paulo. O mesmo foi editado e upado na segunda, dia 24, por isso a "temporalidade" explícita.

Esperamos que o vídeo também sirva como exemplo para a paz entre as torcidas. Nossa ideia, além da emoção do momento, é mostrar que é possível torcedores rivais assistirem uma partida lado a lado, sem violência.


sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Voa, Bolt!

Fala galera!

Todos sabemos a dificuldade que é um time ou uma seleção se manter na elite. Independente do esporte. Mais difícil ainda, é um atleta, uma única pessoa, chegar e conseguir se manter na elite por tanto tempo. São aqueles atletas incontestáveis, que, gostando ou não, você tem que colocar o rabo entre as pernas e admitir que são gênios, estão em outro patamar, são quase inatingíveis.

Um desses casos, sem sombra de dúvida, é o jamaicano Usain Bolt. Há mais de 3 anos (no dia 11 de agosto de 2012, veja como o tempo passa rápido) fiz um post aqui no Resenha em homenagem a este super atleta da Jamaica. Alguns diziam que ele já estava no seu auge, havia acabado de se tornar o único bi-campeão olímpico dos 100m e 200m rasos. Além disso, era o detentor de todos os recordes mundiais e olímpicos. Pois bem, 3 anos se passaram e Bolt continua no seu auge, dá pra acreditar?

O ano não estava empolgando. Bolt não estava conseguindo atingir suas marcas como antes. Eis que vem o Mundial de Atletismo 2015, em Pequim. A história se repetiu. No Ninho da Pássaro, no final de semana passado, tivemos a oportunidade de assistir à final dos 100m rasos. Mas a história começou muito antes. Na prova classificatória, Bolt tropeçou na largada, perdeu um tempo considerável, conseguiu se recompor e garantir sua ida para a prova final. O resultado da final já é o esperado, Bolt bateu o americano (e até então favorito) Justin Gatlin e ficou com o ouro. A diferença entre eles foi de apenas 1 centésimo, isso mesmo, 0.01s. Pra quem não viu, a hora é agora:


Ontem, foi a vez dos 200m rasos. Usain Bolt, no seu melhor estilo, brincou. Literalmente. Deixou Gatlin pra trás e ainda comemorou antes de cruzar a linha de chegada. Brincando, fez o melhor tempo do ano. Imagina sem brincar. Suas últimas 4 passadas já foram descompassadas, fazendo reverências com as mãos e sorrindo. Se tornou tetra-campeão dos 200m rasos, com o tempo de 19.55s. Um monstro.



Foi a décima medalha de ouro do jamaicano na história dos Mundiais - 12 pódios no total com duas pratas em Osaka-2007 -, e ele se junta ao seleto grupo de atletas tetracampeões em uma mesma prova: Michael Johnson (EUA, 400m), Hicham El Guerrouj (MAR, 1.500m), Haile Gebrselassie e Kenenisa Bekele (ambos ETH e nos 10.000m) e Allen Johnson (EUA, 110m com barreiras). E Usain Bolt ainda pode se tornar quatro vezes vencedor em Mundiais de outra prova em Pequim: o revezamento 4 x 100 metros.

Depois, ele se despedirá dos Jogos Olímpicos aqui, no Rio de Janeiro, em 2016, para se aposentar das pistas no Mundial de Londres no ano seguinte. Será a busca pelo inédito tri-campeonato olímpico, tanto nos 100m, quanto nos 200m rasos. Uma honra poder acompanhar a história sendo reescrita aqui, no nosso país.

Até a próxima!

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Uma luz no fim do túnel

Fala galera! Na última terça-feira foi publicada uma pesquisa realizada pelo banco de investimento do grupo Itaú, o Itaú BBA. Nela a instituição mostra a previsão de lucro/prejuízo de 12 dos maiores clubes do Brasil no ano de 2015. A pesquisa analisou as receitas e as despesas dos quatro grandes do Rio (Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco), os quatro grandes de São Paulo (Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo), os dois rivais de Minas (Cruzeiro e Atlético) a dupla Grenal, do Rio Grande do Sul.

Para explicar melhor, o lucro encontrado é o que os analistas de mercado chamam de lucro EBITDA, ou seja, é o resultado de tudo o que foi arrecadado subtraído de todas as despesas do clube, não entram como despesas o pagamento de impostos, juros, amortizações e depreciações, daí a denominação EBITDA (em inglês quer dizer Earning Before Interests, Taxes, Depreciation and Amortization).

O EBITDA é um dos indicadores mais confiáveis para analisar a produtividade e a eficiência do negócio. Portanto, lucro EBITDA alto, negócio eficiente, o que não quer dizer que o negócio tenha boa liquidez, já que ele ignora os itens apontados acima. De certa forma, é através dele que os clubes (empresas) ganham credibilidade com o mercado para financiamentos, refinanciamentos e investimentos.


O resultado apontou lucro na maioria dos clubes analisados, exceto nos dois clubes de Minas e no Internacional de Porto Alegre. O resultado mais assustador é o do Galo Mineiro, com um prejuízo calculado em 25 milhões apenas em 2015.

Na ponta oposta da lista aparece o Flamengo, que tem uma previsão de R$ 89 milhões de lucro ao final da temporada, segundo o banco. O resultado dá credibilidade à proposta da "gestão Eduardo Bandeira de Mello" que desde o início pregou a austeridade e o equacionamento das dívidas (enormes) do clube.

O clube carioca fez com que sua receita subisse cerca de 20% (50% a mais em publicidade e 9% a mais em bilheteria), mantendo os custos praticamente na mesma faixa do ano anterior, um acréscimo de aproximadamente 6%. Com isso a relação entre receita e despesa permaneceu próxima dos 36%, possibilitando a quitação de muitas dívidas adquiridas em gestões gestões passadas.

Antes que as críticas do tipo "mas o Flamengo tem uma cota de televisão enorme, é fácil fazer isso" apareçam, vale lembrar que o Corinthians, que tem potencial parecido com o rubro-negro, não figura entre os maiores lucros analisados. O clube do Parque São Jorge se encontra apenas na 5ª posição, atrás de Palmeiras, Grêmio e Fluminense.

Confiram a relação completa com os devidos valores e tirem suas próprias conclusões:
1º. Flamengo: lucro de R$ 89 milhões
2º. Palmeiras: lucro de R$ 63 milhões
3º. Grêmio: lucro de R$ 42 milhões
4º. Fluminense: lucro de R$ 29 milhões
5º. Corinthians: lucro de R$ 17 milhões
6º. Santos: lucro de R$ 14 milhões
7º. São Paulo: lucro de R$ 9 milhões
8º. Vasco: lucro de R$ 7 milhões
9º. Botafogo: lucro de R$ 3 milhões
10º. Internacional: prejuízo de R$ 3 milhões
11º. Cruzeiro: prejuízo de R$ 19 milhões
12º. Atlético-MG: prejuízo de R$ 25 milhões

Espero que o post sirva para animá-lo com a possibilidade de exigir de seu clube uma gestão mais profissional, como eu tenho feito com o meu. E parabéns a Flamengo, Palmeiras, Grêmio e Fluminense, que parecem entender que sem planejamento e desenvolvimento econômico, nunca sairemos do 7x1.

Fui!

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Big Brother Resenha 2

Fala galera! Há 4 anos fizemos uma brincadeira aqui chamada de Big Brother Resenha. Eram atletas do futebol que de acordo com o rendimento dentro e fora do campo, eles iam para o paredão. Após essa definição, quem escolhia o eliminado era o leitor do Resenha Esportiva. O vencedor da nossa primeira edição foi Ronaldinho Gaúcho, que na época defendia o Flamengo. O prêmio dele? Eu ficaria uma semana sem meter a malha em suas atuações ou confusões.

Agora voltamos com a brincadeira só que com novas regras e novos personagens:
* Teremos 20 participantes, sendo eles os treinadores das 20 equipes da Série A do Brasileirão;
* Treinador demitido é eliminação automática;
* As duas (as vezes três) equipes de pior rendimento durante a semana mandarão seus treinadores para o paredão. Os indicados serão votados pelo torcedor durante três ou quatro dias, de acordo com a agenda do blog. O que tiver maior votação está eliminado da disputa;
* Ao final da temporada, três treinadores disputarão o prêmio máximo do blog (tá, isso é mentira, mas é pra fantasiar a brincadeira);

Topam participar conosco?! Segue a relação dos treinadores na disputa:

A performance já está valendo a partir de hoje! As piores equipes nos jogos de meio de semana e do fim da próxima semana, estão colocando seus treinadores em risco de imediato!

Semana que vem voltamos com os indicados à primeira eliminação!

Fui!

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Treino em excesso

Fala galera! Nem sei se já falei sobre isso aqui no blog, mas com certeza em roda de bate papo de amigos eu já comentei diversas vezes. No Brasil, apesar do torcedor pensar o contrário, se treina muito!!!

Quantos treinadores brasileiros foram parar na Europa e não duraram? Acham que é só pelo estilo de jogo implantado?? Eles querem treino em dois períodos, como aqui em nosso país... Felipão foi fritado no Chelsea, Luxemburgo no Real Madrid...

Há uns dias atrás vi uma entrevista com o Deco (se não estou enganado foi ele) e o ex-jogador dizia que na Europa a pré-temporada é forte, os jogadores chegam ao final dela praticamente no auge físico, graças a isso, durante o ano o treinador só se preocupa com ajustes táticos do time que vai a campo. É treino em um período só, as vezes nem treino de campo os jogadores fazem em determinado dia.

As vezes a lesão aparece no jogo, mas ela foi
fruto da(s) semana(s) de treino excessivo
Já aqui um período é garantido, muitas vezes treinamos duas vezes ao dia. Quantas e quantas vezes vocês viram jogadores do seu time fora de ação por um "desconforto muscular"?

Pois é... esse é um dos problemas que o excesso de treinos, ou o overtraining, como os especialistas chamam, pode causar. Falei com o meu amigo, tricolor chato e professor de educação física (não necessariamente nessa ordem), Paulo Victor, sobre os problemas do treinamento excessivo e ele foi bem taxativo:

- O treino em excesso pode causar cansaço, dificuldade para dormir, irritação, facilidade para contrair infecções, por conta da queda da imunidade, e claro, as lesões.

Aliado a tudo isso ainda devemos ressaltar a péssima qualidade da maioria dos centros de treinamento (quando existem) do futebol brasileiro e o calendário extremamente apertado. E como falei no início, não sei se já comentei esse assunto no blog, mas discuto essa questão há anos, aliás... achei várias matérias do início dos anos 2000 falando sobre isso, e pelo visto, nada mudou...

Fui!

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Expresso dos Clássicos

Fala galera! Na última quarta-feira o Vasco venceu o Flamengo por 1x0 pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Além da vantagem conquistada para o segundo jogo, a vitória, a terceira seguida contra o rival, fez com que essa equipe igualasse um recorde histórico do clube da Colina.

Em 1947, o chamado Expresso da Vitória, venceu seis clássicos cariocas de maneira consecutiva. As vitórias foram, na sequencia, contra o Fluminense (3x2 no Torneio Municipal), Flamengo (2x1 em amistoso), Flamengo novamente (2x0 no Torneio Início), e mais três vitórias no Carioca contra Flamengo (2x1), Botafogo (2x0) e Fluminense (5x3).

O Expresso da Vitória de 1947: 6 clássicos seguidos na conta
Já em 2015 a sequencia conta as três vitórias contra o Flamengo (as três por 1x0, no Carioca, Brasileiro e Copa do Brasil), mais a vitória contra o Fluminense (2x1 pelo Brasileiro) e as duas contra o Botafogo na final do Carioca (1x0 e 2x1).

A chance do recorde ser quebrado existe, será na partida de volta da Copa do Brasil, uma vitória daria a marca histórica ao clube de São Januário, mas além disso daria tranquilidade para que Jorginho possa continuar seu trabalho que visa salvar o Vascão da Série B de 2016.

Se a crise técnica que o time vive é enorme e não nos deixamos apelidá-lo de Expresso da Vitória de novo, pelo menos podemos dizer que esse aí é o Expresso dos Clássicos.

Fui!

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Heróis não reconhecidos

Fala galera!

Há poucas semanas tivemos o Pan Americano do Canadá, em Toronto. Como ele foi apenas transmitido na TV Aberta pela Rede Record, que não tem grande notoriedade em transmissões esportivas, pouco foi falado e veiculado sobre o evento. Ainda mais que a "toda poderosa" Rede Globo não tinha os direitos de imagens, então é aí que o povo ficou ainda mais alienado. Com exceção das pessoas que realmente gostam de esportes e acompanham os canais esportivos da TV fechada, a grande maioria nem ficou sabendo da realização do evento ou de maiores detalhes.

Se já houve baixa audiência com o Pan Americano, imagine então com o Parapan Americano. Como o próprio nome já diz, é como se fossem os jogos paraolímpicos, porém das Américas. Acompanhei (não tão de perto quanto gostaria) alguns dias de disputa e o nível das provas estava realmente alto e bem competitivo. Foram 1560 atletas, participando em 15 esportes, durante uma semana de competições. Entre os 1560 atletas, o que mais se viu foram heróis. Heróis brasileiros.

Pra quem não viu e nem ficou sabendo, o Brasil foi de longe, muito longe, o grande campeão. Só em medalhas de ouro, terminamos com mais do que o dobro do 2º colocado, o Canadá. No total de medalhas, somando as de ouro, prata e bronze, ficamos com quase o dobro. Foram 28 nações participantes, incluindo países tradicionais como os EUA, o próprio Canada, Cuba, México e Argentina. Abaixo, posto o quadro de medalhas final, para vocês terem uma ideia do que estou falando:


Pela tabela, podemos perceber que o Brasil ficou com mais de 25% do total das medalhas. Em relação às de ouro, que são as que realmente "importam" para a colocação de um país no ranking final das Olimpíadas, mais de um terço veio para nosso país, um número extremamente alto.

Em um país onde historicamente não temos o costume de ter grandes patrocínios e investimento, este resultado é mais que sensacional, além de inesperado. Eu sinceramente não sei se os outros países não dão a devida atenção ao Parapan, eu sei que os brasileiros foram lá e honraram a camisa, literalmente. Infelizmente, eles não são reconhecidos como deveriam, como o que realmente são, verdadeiros heróis. Tenho certeza que todos eles têm histórias de recuperação, volta por cima, de perda de auto-estima, dificuldades e redenção. Todos tiveram que superar limites, vencer e conviver com suas deficiências para chegarem onde chegaram. Mas muito pouco sabemos, muito pouco acompanhamos. A grande maioria dos brasileiros não poderia citar 5 nomes de atletas que participaram. Talvez não seja interessante pra mídia, mas é vital pra eles.

É por isso que nós do Resenha prestamos aqui nossa homenagem a todos e a cada um dos atletas brasileiros que partiram para o Canadá no início do mês com uma missão e cumpriram com honra, dignidade e muito sucesso. Fica aqui o nosso muito obrigado, vocês são nossos heróis!

Até a próxima!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...