quinta-feira, 21 de julho de 2016

Marcando território

Ronaldo e o xixi Fenomenal
Nos Jogos Olímpicos de 1996, Ronaldo já se apresentava como esperança no ataque da Seleção Brasileira, apesar de ser ainda conhecido pela alcunha Ronaldinho. O jogador, então com 19 anos, tinha Bebeto como companheiro de ataque, formando uma dupla que se repetiria 2 anos mais tarde no Mundial da França.

Mas a competição não começou muito bem. Com uma derrota logo na estreia diante do Japão, os Canarinhos Olímpicos tinham que vencer a Hungria na segunda partida para manter vivas as chances de classificação. Ronaldo fez a sua parte e marcou o primeiro do Brasil. Mas a Hungria empatou e assustou a torcida depois de uma trombada da defesa brasileira que já havia ocorrido no primeiro jogo.

No final o placar foi de 3 a 1 para nossa Seleção, que acabou conseguindo avançar de fase. Mas o ponto mais curioso aconteceu enquanto a Hungria comemorava o seu gol de empate. Discretamente, Ronaldo se sentou no meio de campo, colocou a bola na sua frente e... urinou!



Isso mesmo que você está lendo!! No melhor estilo canino, o Fenômeno marcou seu território para que, digamos, não mais fosse invadido por pessoas não bem-vindas.

Há quem diga que naquele momento de alívio imediato ele marcou o seu lugar no hall da fama do futebol, já que aquele gesto significaria dizer que a bola era sua propriedade. Isso sim teria sido um xixi Fenomenal.

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Derrota na hora certa!?!?

Há tempos que não via a Seleção Masculina de Vôlei do Brasil ser atropelado como foi na final da edição deste ano da Liga Mundial. Atropelado como se a seleção fosse um timeco da fase preliminar. A Sérvia "passou o rolo compressor" sem dó nem piedade e impôs mais um ano no jejum da seleção brasileira que desde 2010 não conquista a Liga.

No jogo o Brasil abusou dos erros e parecia desconcentrado e pensando longe. A Servia que nada tem com isso, impôs seu jogo e mostrou que será adversário duro nas olimpíadas, apesar do Brasil ter jogado abaixo do esperado e não ter sido um adversário que exigisse muito. Se o Brasil tivesse um pouco mais ligado no jogo a diferença não seria tão grande, e até o resultado poderia ser outro. Fato é que os sérvios foram melhores e levaram o caneco.


A grande vantagem é que comprovadamente a seleção de vôlei tem um líder como técnico e pelo menos dentro das quadras essa liderança é incontestável há muito tempo. O líder que o Bernardinho é, faz e sempre fez diferença e isso é que nos dá a tranquilidade, mesmo o resultado sendo tão preocupante as vésperas das Olimpíadas. E para nós este ano, o que nos interessa mesmo são os jogos olímpicos.


A derrota tão avassaladora na final do campeonato tem um grande ponto positivo que poderá nos valer a medalha de ouro em casa. As vitórias as vezes escondem nossas fraquezas, e o maior exemplo e mais óbvio, é a seleção brasileira de futebol que levou a Copa das Confederações as vésperas da Copa do Mundo e deu no que deu. Como disse anteriormente, a diferença é que no vôlei temos comando dentro das quatros linhas e o time é bem treinado. A maior diferença mesmo: no vôlei somos treinados.


No comando da confederação de vôlei as mazelas são as mesmas da do futebol e os resultados nas quadras tanto no masculino quanto no feminino, acabam por mascarar a má administração para ser "light". Mas as vésperas do desafio que teremos a frente, não dá para querer mudar tudo e temos que focar mesmo é no resultado. Não dá para ser diferente agora. Tomara que independente do resultado, e que seja o melhor possível, o legado maior seja a mudança em toda a administração de todos os esportes olímpicos no país. No mais, é torcer por todos os resultados de ouro possíveis e imagináveis, Depois a gente vê o que faz com essa "cambada" que domina os esportes no Brasil... e vida que segue.

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Os quatro melhores do Copão 2016

Fala galera! No último dia 2 de julho aconteceram as quartas de final do Copão Regional Entre Amigos 2016. O tempo encurtou e acabei não passando a limpo os jogos da rodada, ficou pra hoje, às vésperas das semi finais da competição.

As partidas foram disputadas no Estádio Virgílio Quévedes Bífano, em Pirapetinga-MG, local que já havia sediado a rodada inaugural. Das quatro partidas, três foram decididas nas penalidades máximas, tamanha a competitividade entre as equipes.

Uszomi 2 x 2 Dependentes (3x2 nos pênaltis)
A juventude dos faisões contra a experiência dos morcegos da noite. Um jogo tenso, disputado, com gols, brigas, expulsões e confusão após a disputa. Digode abriu o marcado para o Dependentes após cobrança de falta. Léo Gravina empatou em falha do setor defensivo dos bacardinos. O que poderia ser um gás para o time do Uszomi, foi um balde de água fria, pois no lance seguinte Parré fez o segundo do Dependentes. Depois de muita pressão e confusão, Popó igualou em cobrança de pênalti, levando o jogo para a decisão em mais cinco cobranças pra cada lado. Marcão, Tico e Gleydson desperdiçaram pelo Dependentes, apenas Popó errou para os faisões, que ficaram com a vaga.

Bávaros 2 x 1 Jacareanos
A equipe sensação da primeira fase enfrentou os vizinhos paduanos. Sob a batuta de Iago, a equipe de Volta Grande entrou como favorita no duelo contra os atuais vice-campeões. E não demorou muito para o artilheiro dos Bávaros abrir o marcador com um golaço de falta. Pouco tempo depois, ainda na primeira etapa, Cleiton limpou meio mundo e ampliou, deixando os voltagrandenses próximos da classificação. Mas quem disse que os Jacarés estavam mortos? Léo Faria reduziu a vantagem e colocou fogo no jogo. Mas prevaleceu a experiência da dupla Jajá/Batata, que mais uma vez chega a uma semi-final.

Pirapepinga 0 x 0 Castelo (5x6 nos pênaltis)
O primeiro 0x0 do Copão apareceu, mas não pensem vocês que o jogo foi feio e sem emoção. Os torcedores locais que encheram o Estádio Municipal e sonhavam com a classificação do Pirapepinga, tiveram que segurar a respiração até a última cobrança de penalidade. Com uma cobrança desperdiçada pra cada lado, o jogo foi para a disputa alternada, e na segunda cobrança o time da casa chutou na mão do goleiro, bastando ao time de Estrela Dalva marcar para garantir mais uma semi em seu currículo. Deu Castelo nesse duelo!

LG 0 x 0 Pariscida (3x4 nos pênaltis)
E se o torcedor já roeu as unhas com o 0x0 do jogo anterior, nada mais emocionante que uma segunda partida para ser definida em detalhes. Com atuações de gala dos goleirões Claudinei, do Pariscida, e Geraldinho, do LG, os atacantes passaram aperto e não conseguiram balançar as redes no tempo normal. Na loteria das penalidades, Syllas tentou a cavadinha e a bola ficou na mão do goleiro. LG mais uma vez volta pra casa e o Pariscida avança.


3ª Rodada Copão Regional Entre Amigos 2016... por copao-regional

SEMI FINAIS DO TAÇÃO – 16 DE JULHO – OPERÁRIO – ALÉM PARAÍBA/MG
08h30 – Cachorro do Mato x Oheim
10h30 – Gambalera x Ousadia

SEMI FINAIS DO COPÃO – 16 DE JULHO – OPERÁRIO – ALÉM PARAÍBA/MG
12h45 – Uszomi x Castelo
14h45 – Bávaros x Pariscida

Artilheiros:

5 gols
Iago (Bávaros)

4 gols
Preto (Castelo)

2 gols
João Pedro (Pirapepinga), Léo Gravina (Uszomi), Roger Fill (Cachorro do Mato) e Saulo (LG)

1 gol
Álvaro (Bávaros), Anízio (LG), Caio (Ousadia), Caio Two (Gambalera), Cícero (Jacareanos), Cleiton (Bàvaros), Daleste (Pirapepinga) Diego (Cachorro do Mato), Digode (Dependentes), Gurgel (Gambalera), Jackson (Pirapepinga), João Paulo (Oheim), Léo Faria (Jacareanos), Lucas (Castelo), Miguel (Dependentes), Monstrinho (Uszomi), Neney (Pariscida), Parré (Dependentes), Patrício (Pariscida), Popó (Uszomi), Rolinha (Jacareanos), Samuel (Ousadia), Syllas (LG), Tadeu (Dependentes), Tato (Uszomi), Tissi (Gambalera), Túlio Voga (LG), Valdinei (Oheim), Virgílio (Dependentes), Xandy (Ousadia) e Zazá (Dependentes)

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Por amor ao tênis

Fala galera! Se na última terça criticamos o calendário daATP que coloca Hamburgo entre as temporadas de grama e piso duro, chegou a vez de descer a lenha nos Jogos Olímpicos, que hoje não valem pontuação alguma no ranking, tanto da ATP quanto da WTA.

Em 2008 tanto ATP quanto a WTA adotaram pontuação nas disputas do tênis olímpico, e a aceitação foi enorme. Em Pequim o ouro foi de Rafael Nadal, em competição que contou com Novak Djokovic, Roger Federer e cia. Já o título feminino ficou com a russa Elena Dementieva, que bateu a compatriota Dinara Safina na decisão. Em Londres Andy Murray faturou contra Roger Federer a decisão, enquanto que no feminino deu Serena Williams que bateu Maria Sharapova na decisão.

Para 2016 a expectativa era de que o Rio premiasse com os mesmos pontos de 2012, mas por divergências financeiras, tanto ATP quanto a WTA, anunciaram que os jogos não valerão pontuação no ranking, o que já gerou discussão e desistências.

Qual a lógica de se abandonar torneios com pontuação e premiação alta em busca do sonho do ouro olímpico? Será que teremos adesão ou voltaremos ao status de “jogar por amor ao esporte e ao ouro olímpico”?


Fui!

terça-feira, 12 de julho de 2016

Debandada hambuguesa

Fala galera! Está rolando o ATP 500 de Hamburgo, na Alemanha, torneio disputado no saibro logo após Wimbledon. Depois dos Grand Slams e dos Masters 1000, o ATP 500 é o torneio de maior pontuação durante a temporada, raramente os tenistas top 20 ficam de fora, mas nesse ano está sendo diferente.

Pra início de conversa, o cabeça de chave número 1 é o alemão Philipp Kohlschreiber, 22º do mundo. Acima dele, o único tenista a disputar uma competição essa semana é David Ferrer, o 13º, que está no ATP 250 de Bastad.

Mas o que causou essa debandada dos grandes tenistas?

Hamburgo sempre foi um ATP 500 no meio do nada... ele é disputado no saibro e acontece entre Wimbledon (grama) e US Open (piso duro), a maioria dos tenistas já começa a se preparar para a temporada norte-americana e evita a disputa alemã. Esse ano ainda tem um agravante, as Olimpíadas, que apesar de não dar pontos ao ranking, chama a atenção de alguns dos melhores tenistas do mundo. Além disso acontece uma rodada da Davis no fim de semana das finais de Hamburgo, um prato cheio para a fuga de atletas da competição.

Ano passado tivemos Nadal campeão, com Fognini (então 32º do mundo) como vice, um nível bem superior, mas que de toda forma não coloca o torneio entre os mais procurados, já que apenas o espanhol era Top 10 na ocasião.


É preciso rever o calendário para Hamburgo, encaixá-lo antes de Roland Garros, ou então rebaixá-lo a ATP 250, para que tenistas de nível inferior não alcancem boas pontuações no ranking graças a disputas de nível inferior.

Por hoje é só!

Fui!

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Portugal faz história

Lisboa, 4 de julho de 2004. A seleção portuguesa comandada por Luiz Felipe Scolari chega a decisão de Eurocopa pela primeira vez. No elenco os lusos contavam com Luis Figo, Ricardo Carvalho, Maniche, Deco, Pauleta, Rui Costa, Nuno Gomes e um jovem de 19 anos, um tal de Cristiano Ronaldo. Do outro lado do campo a Grécia de Charisteas, que chegou até a final aos trancos e barrancos, jogando um futebol feio mas eficiente

Na abertura da competição os dois haviam se enfrentado no Estádio do Dragão, na ocasião a Grécia venceu por 2x1. Na final, apesar da grande expectativa pelo primeiro título profissional de nossos patrícios, a frustração foi enorme. Quase 63 mil pessoas viram o camisa 9 grego dar o título aos visitantes.

Exatos 12 anos e 6 dias depois, já sem uma seleção competitiva, os portugueses vão, assim como a Grécia de 2004, aos trancos e barrancos para a final da Euro. Dessa vez fora de casa, contra os donos da casa, a França, que buscava seu terceiro título da competição.

Os Bleus chegaram ao jogo decisivo com cinco vitórias e um empate, enquanto que os portugueses empataram quatro e só venceram duas. Ambos invictos. E a única esperança de Portugal era aquele jovem que em 2004 tinha apenas 19 anos, Cristiano Ronaldo, mas uma ironia do destino tirou o melhor jogador do mundo de campo com apenas 25 minutos, após pancada que levou de Payet.

Mas assim como em 2004, o favorito não foi capaz de aguentar os visitantes, e com atuação impecável de Pepe (candidatíssimo a vilão da partida), Portugal fez 1x0 com Éder e garantiu seu primeiro troféu da história, taça que dá a CR7 o troféu de melhor do mundo novamente (ou alguém duvida que ganhando a Liga dos Campeões e a Eurocopa no mesmo ano ele perderá esse título?).

Um prêmio aos nossos descobridores, que no momento que o Brasil se perde no futebol, eles se acham.

Fui!

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Prós e contras das Olimpíadas do Rio

Faltando 1 mês para abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016, o brasileiro esta dividido entre apoiar o maior evento de integração entre os povos do planeta ou reprovar um evento milionário enquanto a saúde, educação e segurança do país estão sucateadas.

Todo amante do esporte vê nas Olímpiadas do Rio a única oportunidade na vida de participar desse evento. Pela primeira vez na América do Sul, os brasileiros terão a oportunidade de ver de perto atletas consagrados e torcedores de 204 nações. Serão 42 Campeonatos Mundiais das mais variadas modalidades em um período de 17 dias, localizados em quatro regiões da cidade do Rio de Janeiro: Barra da Tijuca, Copacabana, Deodoro e Maracanã.


O orçamento para a realização da Olímpiada e Paraolimpíada está em 38,3 bilhões, dos quais 58% deve ser bancado pela iniciativa privada ou parcerias Público-Privadas (PPPs). Enquanto isso, o Governo do Estado do Rio de Janeiro decretou estado de calamidade financeira deixando funcionários públicos com salários atrasados, professores e alunos sem aulas, Unidades Básicas de Saúde sem medicamentos e insumos suficientes para abrir as portas à população. Além disso a nossa segurança não tem estrutura para enfrentar organizações criminosas frente a uma guerra civil não declarada na Cidade Olímpica e, por fim, a preocupação com a qualidade da construção das arenas e infraestrutura viária para atender a demanda dos jogos.


Diante da oportunidade da sua vida e a indignação por uma administração pública sem corrupção e valorização humana, qual a sua expectativa para os jogos?

Luiz Felipe Furtado

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Pagando o Pato

Fala galera! O nome de Alexandre Pato apareceu no BID da CBF, documento que dá condições de jogo aos atletas. O atacante retorna de um empréstimo improdutivo ao Chelsea, da Inglaterra.


Depois de ser contratado pela bagatela de 40 milhões de reais, o ex-jogador do Milan não rendeu o esperado. Após um pênalti desperdiçado contra o Grêmio ele caiu em desgraça com os fanáticos corintianos e foi parar no arqui-rival, São Paulo, envolvido na troca de Jadson. No Morumbi foi bem, marcou gols, e chamou a atenção da Europa novamente.

Agora ele retorna com um ponto de interrogação e um peso enorme em suas costas.

Ele precisa dar retorno financeiro ao clube, que investiu muita grana. Precisa dar retorno técnico à torcida, que ainda coloca em sua conta a eliminação de 2013. Precisa dar retorno ao Brasil, que em 2007 depositou nele a esperança de gols da camisa amarelinha.

Ele conseguirá?


terça-feira, 5 de julho de 2016

Golden State Winners

Fala galera! Kevin Durant anunciou que sairá de Oklahoma rumo a Oakland na próxima temporada. O contrato do ala de 27 anos se encerrou no mês passado e ele optou por abandonar a franquia que viu nascer e vencer após nove temporadas (uma delas ainda como Seattle).

Durant tem a terceira melhor média de pontos da história da NBA, atrás apenas de Chamberlain e Jordan, e costuma atuar ao menos 40 minutos por partida. No Golden State ele se juntará a Stephen Curry, Klay Thompson e Draymond Green, além dos brasileiros Leandrinho e Anderson Varejão.


O que todos estão chamando de novo Dream Team, eu chamo de novo Titanic. Ao contrário do Miami que Lebron James montou para ser campeão, com vários jogadores para suprir as necessidades do astro, os Warriors me parece não ter avaliado o risco de ter em seu quinteto ao menos três franchise players (jogadores que permitem a uma franquia construir toda uma estrutura para fazê-lo brilhar).

Acho temeroso, acredito que em breve termos uma bela disputa de egos, apesar de Durant, Curry e Thompson não demonstrarem tal perfil, mas é importante ressaltar que tiveram poucas oportunidades para tal.

Façam suas apostas... o que acontecerá com o Golden State Warriors? E com o Thuder do agora solitário Westbrook?

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Cartola maluca

Fala galera! Que o Cartola é uma febre entre os amantes do futebol brasileiro, não há dúvida nenhuma. São milhões de pessoas que brincam de ser dirigentes, contratam e vendem jogadores, fazem ligas privadas. Mas uma situação começa a me preocupar nessa brincadeira.


Nas últimas rodadas foram várias jogadores recebendo mensagens via redes sociais pedindo que marcassem gols, não tomassem cartão e etc. Chegamos ao ponto do jogador Luan, do Grêmio, ter que desmentir a autoria de uma frase relacionada à sua atuação em uma partida (obs.: a frase foi publicada por um "perfil fake" do jogador).

Repórteres já usam o fantasy game em suas perguntas, quantas e quantas vezes podemos ver o responsável pelo jogo do Sportv mandando a famosa "você se escalou no Cartola?".

E aí me vem uma questão maior do que isso... a paixão pelo game vai chegando a um patamar em que os árbitros passam a montar seus times, disputar ligas, algumas até com prêmio, e partindo disso fica a pergunta: o que isso pode causar ao futebol brasileiro?

A resposta é com vocês!

Fui

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...